FAUNA selvagem de Angola

          

       A Fauna selvagem de Angola

                                                             

O território angolano é detentor de uma fauna muito diversificada. Pode mesmo considerar-se que existem em Angola quase todos os exemplares da típica fauna africana.

             O  animal selvagem mais emblemático de toda a fauna angolana é sem dúvida alguma o leão. Os leões são predadores temíveis que se atrevem a atacar quase todos os animais selvagens e muitas vezes o gado doméstico dos africanos. Um leão adulto chega a pesar cerca de 250 kg e necessita de comer cerca de 60 kg de carne por dia.

Na realidade não são os leões machos que caçam para prover os clãs de carne. Essa tarefa compete às leoas. As leoas são mais ágeis e rápidas do que os machos e usam de grande estratégia para caçar as presas, sem grande esforço. A caça é um ritual diário para os leões e acontece de manhã ao nascer do dia, ao cair da noite e durante a própria noite. Os leões raramente caçam à hora do calor. Os leões depois de saciados espojam-se à sombra das árvores ou das moitas de arbustos e passam o dia a dormir ou a descansar. Os leões têm uma grande capacidade de dissimulação e a sua pelagem castanha, escassamente malhada, permite-lhes uma dissimulação perfeita no meio davegetação. Não é nada fácil descobrir  leões abrigados nas moitas. As leoas são muito mais rápidas na corrida do que os machos e sabem calcular as distâncias adequadas para lançar os ataques. Uma leoa adulta bem desenvolvida  não pesa mais do que 180 kg. e pode correr a mais de 60 km por hora durante os primeiros 100 metros. Quando o ataque é dirigido a  presas grandes que podem oferecer resistência e representar algum perigo, como os búfalos, o ataque é feito em grupo. O leão só aparece no final da caçada, para dar um golpe de misericórdia à presa e reclamar a sua parte, normalmente a melhor. Os leões têm preferência em iniciar o seu banquete pelo fígado da vítima, que certamente apreciam mais por ter grande quantidade de sangue e ter também um melhor paladar.

               Leoas preparando uma emboscada

           Leoas atravessando um regato  

               Leoa atacando uma zebra

Um clã de leões comporta-se como uma família unida. É normalmente formado por dois machos e várias fémeas adultas que se fazem acompanhar das suas crias em diversas fases de desenvolvimento.  Logo que as crias masculinas atingem o tamanho de adultos, no despontar da juba, os machos grandes, os patriarcas, expulsam-nos do clã para que não lhes façam concorrência sexual. Têm então de partir em grupos de dois ou três e de ir fazer vida longe do clã. Quando, passado um ou mais anos atingem o seu pleno desenvolvimento, regressam ao clã para disputar o lugar dos pais. Se vencerem a luta com os pais apoderam-se do clã e escorraçam os pais, matando de seguida todos os juvenis descendentes dos pais escorraçados. É algo de muito cruel ,mas no entanto normal para os animais da sua espécie.  Os maiores inimigos dos leões são as hienas, que procuram roubar-lhes as presas e comer-lhes os filhos jovens. Leões e hienas são inimigos tradicionais  permanentes.

Os Elefantes

         O Elefante africano é sem dúvida alguma, depois do leão, o animal selvagem mais importante e notável de Angola. A população  de elefantes em todo o Continente africano foi severamente prejudicada pelas guerras coloniais e civis que deflagraram em África durante o período histórico das independências africanas. Um outro factor importante que contribuiu grandemente para a redução do seu número,  foi a ocupação de grandes áreas para propósitos agrícolas e a criação de reservas de vida animal que limitaram drásticamente a sua liberdade. Em tempos mais recuados os elefantes deslocavam-se livremente atravessando todo o continente africano, desde o Sudão ao Cabo. Agora isso tornou-se praticamente impossível. Uma manada de elefantes consome diáriamente uma grande quantidade de vegetação e se essa manada for muito numerosa destroi fácilmente toda a vegetação de um bosque quebrando troncos e arrancando árvores jovens para lhes comer as folhas e as cascas. Por outro lado, o facto dos elefantes serem a maior fonte de produção de marfim, tornou-os alvos de grupos de caçadores furtivos  que os abatem sem dó nem piedade para lhes tirar as presas. Isso só poderá terminar se vier a haver uma proibição total do comércio do marfim no mundo inteiro.

      Elefante adulto com as suas duas presas de marfim

O elefante ao nascer pesa perto de 100 kg. No estado adulto o elefante atinge o peso de sete ou mais toneladas. Um elefante grande pode ingerir cerca de 200 kg de pasto diáriamente. Os elefantes podem viver até aos setenta anos.

Leopardo – onça

O leopardo africano habita em quase  toda a imensa vastidão do Continente Africano, desde as exuberantes e densas florestas, até às regiões áridas e rochosas que confinam com o grande deserto do Sara e com o deserto do Kalaari.

      O Leopardo é um predador eficaz e cruel que possui uma das  mais desenvolvidas capacidades de adaptação e um inegualável poder de dissimulação.  É um trepador por excelência que se move com muita facilidade e segurança nos ramos das árvores, onde passa grande parte do tempo e onde caça macacos.

      O leopardo é dotado de olhos com excelente capacidade para a visão nocturna. Eles possuem uma membrana reflectora (tapetum lucidum) que se situa logo atrás da retina e que é extremamente sensível à luz, podendo captar qualquer raio luminoso por mais fraca que seja a sua intensidade. Esta membrana é que faz com que eles brilhem à noite. Uma visão deste tipo dá ao leopardo a possibilidade de caçar à noite com facilidade e eficiência.  

                                                                          

O leopardo é um animal de hábitos eminentemente nocturnos, que durante o dia foge ao calor tropical e que, como qualquer outro felino, aproveita o dia para descansar e dormir.  É ao começo da noite e durante a noite  que efectua as suas caçadas. O leopardo é um animal muito ágil e silencioso que ataca sempre de surpresa e com uma fulminante rapidez,  dando raramente à presa,  a oportunidade de escapar. É dotado de garras retrácteis  fortes  e afiadas como verdadeiros punhais, que dilaceram facilmente as suas vítimas.   O leopardo mata  por  asfixia cravando os seus poderosos caninos na garganta  das presas apertando-lhes a traqueia e a veia jugular até que sucumbam. Os leopardos são felinos solitários que só se juntam para o acasalamento e durante o crescimento das suas crias.

                                    

                                     Onça africana em repouso

 A Chita ou Leopardo Corredor

Devido às suas extraordinárias características anatómicas este simpático felino, detém o recorde absoluto de velocidade, 115 km/h. A natureza dotou este felino de formas físicas adequadas à velocidade. O animal possui uma cabeça muito pequena, umas pernas muito compridas, um corpo esguio, e uma área de contacto das patas com o solo  muito reduzida, o que lhe permite diminuir grandemente o atrito. Durante a corrida, o animal usa a  cauda para controlar o equilíbrio do corpo, uma vez que, as gazelas, suas  presas  principais mudam rápida e frequentemente de direcção.

Os factores que têm feito diminuir e confinar cada vez mais a sua presença  na Ásia e em grande parte da África, devem-se à degradação progressiva dos seus habitats, e a problemas de procriação e de mortalidade juvenil nesta espécie que é muito acentuada.

Os machos adultos não acompanham as fêmeas, apenas as procuram no período do acasalamento. As crias mantêm-se em companhia da mãe até atingirem o tamanho adulto, e até saberem caçar, o que normalmente acontece quando atingem um ano e meio. É rara a ninhada em que as crias sobrevivam todas. As crias deambulam com a mãe pelas savanas e enquanto a mãe caça, escondem-se na relva, aguardando que a mãe termine a caçada e que as chame para comerem. As hienas aproveitam estas ocasiões para atacarem e comerem as crias desprotegidas.

                       Chita com cria

 

Lince Africano

O lince é um felino de tamanho médio com vasta distribuição geográfica, que tem hábitos marcadamente nocturnos e que caça presas de pequeno porte, tais como coelhos, lebres, ratos, perdizes, galinhas do mato e outras aves selvagens. Os linces são de uma maneira geral um pouco maiores do que o gato doméstico, escepção feita ao lince africano que tem um porte bem maior.

Têm uma cauda curta e orelhas bicudas terminadas por tufos de pelos compridos. Habitam as florestas e zonas de vegetação densa onde abundem as suas presas preferidas. Têm em geral uma pelagem espessa e patas dotadas de garras retrácteis que servem para agarrar as suas presas. Os linces africanos que vivem em climas tropicais quentes não possuem tanto pelo e são normalmente mais robustos devido à abundância de presas. 

Girafa

Devido ao seu longo pescoço a girafa é sem dúvida o animal mais alto das extensas savanas africanas. Os seus membros anteriores são muio mais compridos do que os membros posteriores o que torna a sua configurção anatómica deveras curiosa. Aos nossos olhos a Girafa parece-nos, logo à primeira vista, um animal desequilibrado.

              Os rebentos verdes, são o seu suprimento natural de água.

O seu pescoço tem um comprimento de aproximadamente 3 metros o que faz com que um animal adulto chegue a atingir os 6 metros de altura. O seu longo pescoço proporciona-lhe  uma  forma muito típica de se alimentar, podendo colher rebentos tenros e frutos silvestres, nas extremidades dos ramos mais altos das árvores.  As girafas possuem um sistema circulatório muito forte e perfeito onde o sangue circula com grande pressão arterial, porque de contrário não conseguiria chegar à cabeça do animal. Na parte posterior da cabeça as girafas têm válvulas de retenção sanguínea para evitar o refluxo do sangue quando a girafa baixa a cabeça para beber. A girafa pode passar longos períodos de tempo sem beber devido à sua  alimentação à base de folhas

       A Girafa só tem um predador natural; o leão. A sua única defesa é ter um  coice extremamente forte que acertando em cheio na cabeça de um leão pode partir-lhe o crâneo.

Hiena

              A hiena malhada africana é um dos animais mais repelentes e antipáticos da selva. É um predador eficaz e atrevido.É um animal necrófago, que se organiza em matilhas e que também caça presas em corrida. Tal como os leões, vive organizada em clãs. No caso das hienas, as fêmeas mais velhas é que governam os clãs.

Normalmente os machos não permanecem nos clãs, vivem fora deles e só se juntam aos clãs na altura da reprodução. As fêmeas, em conjunto, asseguram a protecção e alimentação das crias do clã.

As hienas possuem mandíbulas e dentes poderosos, capazes de triturar ossos com grande facilidade.

           Qual seria o dentista capaz de meter a mão numa boquinha destas?

Quando caçam em grupo e apanham presas vivas, as suas vítimas têm uma morte horrorosa, pois são despedaçadas  antes de morrer e rapidamente devoradas.

Existe uma lenda antiga em África, que conta, que as hienas à  noite, atacam também os homens, mas antes de o fazerem  põem-se  primeiro de pé, para verem se são mais altas do que eles.  Só os atacarão, se forem mais altas. Por isso, quando à noite, se deslocam nos carreiros da mata, os africanos colocam latas altas na cabeça, ou levam um pau com um chapéu na ponta, para aumentarem a sua altura e não serem atacados.

             As hienas que não são do mesmo clã e que não têm o mesmo cheiro de grupo atacam e devoram os filhos de outros clãs,se os encontrarem desprotegidos pelas mães.

Mabeco, Cães Selvagens Africanos 

      Com dimensões semelhantes às de um Pastor Alemão, o mabeco possui uma cabeça mais larga, orelhas maiores, pernas compridas e uma pelagem com manchas preto, castanho, dourado e branco. Este animal assemelha-se a um cruzamento entre uma hiena e um cão doméstico, mas ao contrário da hiena, que é aparentada aos gatos, o mabeco pertence à família dos Canídeos (cães e raposas). Até há bem pouco tempo era considerado como um assassino cobarde e indisciplinado, pronto para a matança. No entanto, o mabeco foi sempre incompreendido. Mata as suas presas mais rápida e eficazmente que qualquer outro predador, vive num sistema social que é o oposto da sua imagem. Cuidar e partilhar são as palavras de ordem, pois a matilha tem de cooperar para sobreviver. Os cachorrinhos são vigiados por toda a matilha, que pode variar entre os 6 e os 30 indivíduos. Depois de uma caçada, qualquer um dos animais mais velhos pode regurgitar comida para alimentar as crias. Os mabecos também cuidam dos feridos da matilha, lambendo as feridas, e partilham o produto da caçada . Os cães selvagens caçam em grupos que, por vezes, chegam a ter mais de 100 animais. Quando seleccionam as presas lançam-se em sua perseguição até as extenuarem, e começam a devorá-las  ainda durante a corrida até as matarem

   Rinoceronte preto

É um animal ameaçado de extinção, por causa das presumíveis propriedades medicinais dos seus chifres. É um animal atarracado e muito forte. É  neurasténico por natureza. Tem um sentido da vista muito fraco. Há um pequeno pássaro que o avisa, sempre que há algum perigo eminente por perto. É um passarito de bico vermelho, um pouco maior que um pardal comum.

É um dos animais mais antigos da terra.

O rinoceronte tem um ouvido e um olfacto apurados.Vive nas florestas que bordam as savanas. Come folhas, frutos silvestres, raízes e tubérculos.

Pesa em adulto  cerca de 2000 kg

Altura  1,5 m … medida na espádua

A sua caça clandestina reduziu de forma terrível o seu número no Continente Africano. De 1970 para esta data o número de rinocerontes pretos foi reduzido em 90 %. Apesar de toda a vigilância e esforços não tem sido possível protegê-lo eficazmente.

                         Rinoceronte branco com cria.

Em corrida, quando carrega sobre os seus adversários, pode alcançar a velocidade de cerca de 50 km hora.

                                Rinoceronte preto em corrida.

           Se não se reforçar a sua vigilância nos Parques de Vida Selvagem, poderá estar extinto dentro de umas décadas.

Rinoceronte Branco

Como se consegue distinguir um rinoceronte preto de um rinoceronte branco?  O rinoceronte preto é menos corpulento do que o rinoceronte branco. O rinoceronte preto tem uma armadura bocal muito diferente da do rinoceronte branco. O rinoceronte preto tem na extremidade do focinho um prolongamento em forma de bico recurvado, que actua como uma pequena tromba preensil  que permite ao animal agarrar rebentos, frutos e folhas. A estrutura do focinho do rinoceronte branco é completamente diferente. Os lábios do rinoceronte branco são em tudo semelhantes aos dos bovídeos e estão perfeitamente adaptados à sua forma de alimentação, pois o animal pasta erva como qualquer bovídeo.

É um habitante da savana por excelência, onde se alimenta de plantas e gramíneas como qualquer herbívoro. Normalmente o seu chifre frontal é mais curto e mais grosso que o do elefante preto. O rino branco é mais corpulento do que o rino preto. O seu habitat preferido é a savana. O habitat preferido do rinoceronte preto é a mata. É também uma espécie fortemente ameaçada pelos caçadores furtivos devido aos seus valiosos chifres. O seu número sofreu também uma grande redução, embora menor do que a do rino preto.

Palanca Preta Gigante

               Este gracioso antilope foi eleito pela sua invulgar beleza e raridade  como o símbolo de Angola. O seu nome científico  é (Hyppotragus Niger Variani). Os exemplares remanescentes desta espécie vivem sob apertada vigilância na Reserva Natural Integral do Luando onde se encontram reunidas todas as condições para a sua subsistência e protecção.Trata-se de uma espécie ameaçada de extinção. O tamanho e a forma dos seus longos chifres tornaram-na um troféu altamente cobiçado pelos caçadores nacionais e estrangeiros. A sua caça está totalmente proibida em Angola e impõe duras penalidades a quem se aventurar a abater um exemplar. Para além de uma pesada multa e do confisco de armas e veículos, acarreta ainda a prisão do infractor.

A palanca-negra, pala-pala  (Hippotragus niger) é uma espécie de palanca nativa da África Oriental e Austral. Possui uma pelagem entre castanha e negra, com exceção do focinho e da barriga, que são brancos. 

    Chegou a pensar-se que esta espécie  estivesse  mesmo extinta, como consequência das guerras colonial e civil que alastraram por todo o território angolano, o que felizmente não aconteceu. 

              Um macho e duas fêmeas jovens

          Felizmente devido à protecção que se tem dispensado a estes magníficos animais, o seu número tem aumentado bastante e já é possível ver no Luando manadas formadas por perto de cinquenta animais.

            Manada de palancas pretas gigantes

                A  PALANCA GIGANTE é o antílope mais querido de Angola. Em adulto chega a pesar cerca de duzentos e quarenta quilos e pode medir entre 1,6 e 1,50 metros.  Os juvenis desta espécie tanto os machos como as fêmeas não possuem pelo preto, possuem pelo castanho. A cor  muda  à medida que os machos vão crescendo, adquirindo a cor preta de azeviche na fase adulta. Só os machos adquirem a cor preta.                          O comprimento dos chifres  na fase adulta chega a atingir os 165 centímetros.

                        Palanca preta na mata

     O Búfalo cafre

                   O Búfalo cafre é depois do Rinoceronte, um dos animais selvagens mais corpulentos e perigosos. Vive em grandes manadas, nos bosques mais fechados que bordejam as savanas africanas. Não podem prescindir de água abundante, para se refrescar e para se espojarem nos lameiros. O banho de lama é essencial para que o búfalo se defenda das picadas dos insectos, principalmente das terríveis moscas sugadoras de sangue.

É um animal neurasténico por temperamento, sempre preparado para atacar todos  os seus inimigos, nomeadamente  leões e  caçadores. Um búfalo macho adulto pode pesar mais de uma tonelada. Ele é uma verdadeira montanha de músculos. Uma só cornada de um búfalo, vibrada  com o escudo frontal da sua forte cornadura, pode matar um leão se o apanhar em cheio.

O búfalo cafre forma grandes manadas que diáriamente se deslocam para perto dos rios, para poder  comer erva tenra e para se poderem banhar e espojar nos lameiros. São animais gregários que manifestam grande solidariedade nos momentos de grande perigo. As suas manadas são quase sempre seguidas pelos predadores e pelos necrófagos que se aproveitam dos restos das  presas. O  principal predador do búfalo é o leão, com quem por vezes trava grandes e perigosos combates. Os leões têm consciência perfeita do seu poder de defesa e do perigo que os búfalos representam, mas não desistem de os atacar. Por essa a razão quase sempre os perseguem e caçam em grupo.

 Leão asfixiando um búfalo cafre e tentando partir-lhe o pescoço.

Pacassa Angolana

                A pacassa ou búfalo castanho de Angola, é o búfalo castanho da floresta, um bovídeo que habita a maior parte dos países da África Equatorial e cujo habitat preferido são as margens dos grandes cursos de água, nas zonas que habitualmente se denominam de florestas galeria. A pacassa é muito semelhante ao búfalo preto nos seus hábitos e comportamento.É contudo um búfalo mais pequeno. É um animal de temperamento desconfiado e vingativo. Os caçadores conhecem bem a pacaça e a sua ferocidade. Muitos caçadores encontraram mortes terríveis na caça às pacassas. Uma pacaça ferida torna-se extremamente perigosa e os caçadores têm o dever moral de a abater para que ela não descarregue a sua fúria vingativa sobre qualquer pessoa inocente que possa cruzar-se no seu caminho ou que  venha a  aproximar-se do local onde esteja  refugiada.  Embora relativamente grande, o búfalo castanho consegue esconder-se e dissimular-se no mato e nas moitas de uma forma tal, que dificilmente consegue ser visto. Parece que este animal é capaz de reconhecer sempre o caçador que o feriu e sobre ele descarrega toda a sua fúria animal assassina. Alguns dos caçadores mortos por pacaças feridas foram encontrados num estado verdadeiramente irreconhecível. Foram despedaçados e reduzidos a uma massa disforme de carne e ossos.

em Angola o búfalo da floresta vive em zonas de clima quente e húmido onde prolifera a terrível mosca tsé-tsé, responsável pela disseminação da grave doença do sono, que todos os anos vitima milhares de africanos, e que  também provoca grande mortandade nos rebanhos  de bovídeos das populações nativas. Na época colonial os portugueses quase conseguiram controlar a doença do sono, usando como armas principais o recurso  à esterelisação dos machos das moscas tsé-tsé e a pulverização de insecticidas nas áreas  mais endémicas.

                                            

 A terrível mosca tsé-tsé 

                                       Vaca e cria atacadas de tripanosomíase – doença do sono.

    As pacaças, devido à boa qualidade e paladar da sua carne foram muito visadas durante as guerrascolonial e civil com o propósito de abastecer os militares e os nacionalistas africanos de carne abundante e barata. Elas tornaram-se alvos referenciais para ambos e foram fortemente dizimadas com recurso  à utilização de armas de guerra.  

O Orix

 Este antílope caracteriza-se pelo seu porte elegante e pelos seus chifres  longos e direitos, por vezes ligeiramente encurvados e canelados na base. É um animal típico do deserto, ou de regiões secas e áridas, onde pode subsistir em condições de extrema secura, contentando-se com a água contida nos alimentos que ingere. Ele consegue sobreviver em zonas onde a maior parte dos mamíferos não pode subsistir. Este antílope é relativamente abundante em determinadas regiões da África, espalhando-se por uma vasta zona geográfica. Os oryx só bebem água quando a conseguem encontrar. São animais extremamente resistentes. Durante os períodos de maior seca do ano evitam deslocar-se durante o dia para não se desidratarem . Pode também ser encontrado nas dunas de areia, nas savanas, em regiões de algum relevo montanhoso. A sua alimentação é variada, mas o animal pode contentar-se com ervas  já secas, suplementadas com folhas  de árvores. Tem uma actividade tanto diurna como nocturna  evitando deslocar-se nas horas de maior calor.

          Forma rebanhos numerosos  em que os machos e as fêmeas mais velhas tem papel preponderante sobre os restantes componentes da manada. Estes animais são relativamente abundantes no  Botswana, na Namíbia, na Reserva Natural do Etosha, no Kalahari, em  toda a vasta região árida do Sudeste de Angola, em Masai Mara, no Serengheti e na própria Província do Cabo, bem ao Sul do Continente Aficano.

Características da espécie: Os machos chegam a pesar entre 160 a 210 kg e podem medir de 115 a 130 cm de altura. As fêmeas tem mais ou menos a mesma envergadura que os machos mas são menos pesadas, dificilmente ultrapassam os 180 kgs. Tanto os machos como as fêmeas possuem cornos direitos  ou ligeiramente encurvados para trás. A pelagem é de pelo curto de um tom cinzento arroxeado. Ostentam diversas manchas pretas e brancas na face. Predadores da espécie: o leão, o leopardo e as hienas.

                                                    Grupo de orixes 

Elandes  (Gungas)      

O elande, gunga ou cefo é um antílope de grande porte muito comum nas savanas africanas (nas regiões do sul e do oeste de Angola). O elande é o maior antílope africano. Um macho adulto chega a atingir os 1000 kg  de peso. A sua carne é de excelente qualidade e por essa razão foi sempre um animal bastante perseguido. Vive em manadas que frequentam as florestas abertas que confinam com as grandes savanas. Apesar da sua grande corpolência  e peso, é um animal extremamente ágil, que consegue dar saltos enormes atravessando uma estrada de um só pulo. È um animal de temperamento dócil que se adapta muito bem a viver confinado a áreas  de amplitude restrita, podendo ser facilmente domesticado.

  Kudu

É um dos mais belos antílopes do mundo. Animal de porte muito esbelto e altaneiro, possuidor de uma  magnífica armação de chifres em espiral ,que pode atingir o espantoso comprimento de mais de 168 cm, fazendo deste animal um troféu de caça muito cobiçado. Vive predominantemente em áreas planas cobertas de vegetação, ou em colinas rochosas e arborizadas. Alimenta-se de ervas, folhas e rebentos tenros de arbustos e árvores, de frutos. Tem uma apurada visão, um bom ouvido e olfacto.  

                                   Os seus predadores são os leões, os leopardos, os cães selvagens, a chita e as hienas.É um animal muito tímido que vive em manadas pouco numerosas e que ao pressentir perigo se  refugia no interior das matas, ou em zonas rochosas onde se desloca com muita facilidade.As fêmeas não possuem chifres. São muito sociáveis ajudando-se entre si para se libertarem de parasitas. As fêmeas atingem a maturidade com dois anos. Os machos com cinco anos. Estes antílopes têm demonstrado grande habilidade para  conviver com  os fazendeiros, o que é útil  para a  conservação da espécie.

               Fêmea de Kudu

O Gnu

                                                             

O Gnu ou boi cavalo é o antílope mais abundante de toda a África. As suas manadas chegam a possuir milhares de animais que se deslocam nas grandes savanas à mistura com outros antílopes. Os gnus e as zebras misturam-se com grande frequência e são sempre os alvos preferenciais de predadores como o leão, o leopardo, a chita, os mabecos e as hienas. O gnu é um bovídeo pouco corpolento com hábitos migratórios, que se desloca em busca de alimento fresco e abundante de região para região. São notáveis as grandes migrações que estes animais, à mistura com zebras e outros antílopes da savana, fazem anualmente do Serengeti para Masai Mara e vice cersa. Estas migrações sasonais estão ligadas às chuvas. Os animais migram para as regiões onde o pasto é abundante e verde. Nessas grandes migrações que envolvem dezenas de milhar de gnus, têm sempre que atravessar o rio Mara, onde uma  multidão de grandes crocodilos esfomeados os espera para os atacar e dizimar. Depois da travessia pode ver-se um espectáculo deplorável, com centenas de gnus e zebras mortos e estropiados, juncando as margens do rio, ou boiando nas suas águas ensanguentadas. 

O gnu é um antilope abundante  em Angola , principalmente nos distritos do Bié e do Moxico. A permanência dos gnus na savana é um factor de fertilização da mesma, devido à grande quantidade de excrementos que nela depositam.

                                                                                                                                                                                       Migração de gnus no rio Mara

A Zebra

A zebra é sem dúvida um dos mais belos animais da savana africana. É um animal que nos encanta pelo seu colorido riscado e pela sua elegância. As zebras existem em quase todo o continente africano e habitam uma grande diversidade de habitats, desde a savana, à floresta e ao desrto. A zebra pertence à ordem dos Perissodactylos  e à grande família dos equídeos.É um animal característico das grandes savanas africanas, onde se mistura com os gnus  e outros antílopes.  É, tal como o gnu, uma das presas favoritas  dos felinos, das hienas e    dos cães selvagens As suas riscas pretas e brancas de grande contraste, constituem  uma forma de camuflagem, pois quando o animal se desloca a grande velocidade, as riscas deformam a silhueta do animal  confundindo os predadores, que perdem a definição exacta do corpo da  presa. As zebras são animais muito robustos que podem trotar longas distâncias a grande velocidade.

          Manada de zebras pastando

 

A caama, (red hartbeest)

 A caama é um antílope gracioso da família dos bovídeos, característico das regiões de África  situadas ao Sul do Equador. Habita as florestas abertas e as savanas que as ladeiam formando rebanhos que podem variar muito de número. Já se encontraram rebanhos de caamas muito numerosos, podendo ultrapassar mais de uma centena de exemplares, Os machos adultos tem uma pelagem castanho escuro avermelhado e podem atingir mais ou menos 1,5m de altura e pesar entre 120 a 200 kg. As caamas costumam pastar de manhã cedo e ao cair da noite. Os grandes felinos, incluindo a chita, as hienas e os cães selvagens são os seus principais predadores. São abundantes na África do Sul e foram os boers que as classificaram com o nome de hertbeest.

 

 

 BONGO

Os Bongos são herbívoros, alimentam-se de folhas, flores e pequenos trocos. Já foi referenciada a sua predilecção por madeira queimada.

Maturidade sexual e gestação
A maturidade sexual desta espécie ronda os 20 meses, nessa altura o dimorfismo sexual entre machos e fêmeas é bastante acentuado.
Nesta espécie a gestação dura entre nove meses a nove meses e meio, nascendo em regra apenas uma cria que será desmamada por volta dos 5 meses.
Tamanho e peso.
Os bongos adultos medem cerca de 2,10 metros de comprimento e 1,25 metros de altura.
Os machos adultos podem chegar a atingir mais de 200 Kg.                                               Longevidade
Estima-se que em estado selvagem os Bongos vivam pouco mais de 15 anos, já em cativeiro podem viver mais alguns anos até perto dos 20 anos.

Impala

A impala é um antílope muito gracioso e muito abundante em África, habitando as florestas abertas e as savanas que se estendem ao longo das margens dos rios. Vivem em grandes manadas e são muito velozes, podendo correr a velocidades que atingem os 90km/h.      

  A chita, ou leopardo da savana é o único predador que as caça com sucesso em corrida, por lhe ser fácil  correr a 115 km/hora. Para fugirem aos predadores as impalas dão saltos enormes que chegam a ser de 6 e mais metros de comprimento. Têm reflexos rápidos e apurados sentidos de audição e de visão. As impalas preferem os pastos onde possam encontrar capim abundante de porte médio e baixo. Necessitam de viver perto de pontos de água, rios, lagoas ou grandes charcos.  Os machos possuem chifres elegantes, em forma de lira, que chegam a atingir um metro  de comprimento. As fêmeas são destituidas de chifres. A pelagem é castanho-avermelhada, escurecendo no rosto e no dorso, sendo que o ventre, os queixais, a linha dos olhos e a cauda são brancos. Uma zona de pêlos mais compridos do que os restantes, de cor preta, cobre-lhe os calcanhares. Os machos atingem a sua maturidade sexual ao completarem um ano de vida, mas as fêmeas só depois dos 20 meses atingem a sua maturidade sexual. O período de gestação das fêmeas é de 195 a 200 dias. Dão apenas uma cria em cada parto.

                  Machos adultos de impala

                                  Fêmeas Adultas

O hipopótamo

Habita os grandes rios e os lagos e lagoas com a profundidade suficiente para poder ficar inteiramente submerso. Alimenta-se de ervas que pasta nas margens e de plantas aquáticas. Vive em grupos que podem chegar a ser numerosos. Os adultos chegam a pesar de 3 a 4 toneladas. O seu comprimento pode atingir os 4 metros. Possuem uma poderosa armação bocal, dotada de grandes caninos de marfim. Quando têm crias são muito agressivos e atacam as canoas dos africanos, podendo destruí-las e matar os seus ocupantes.

 São animais muito curiosos. Possuem vista e ouvido apurados. Se alguém se esconder na margem do rio e começar a assobiar, não descansam enquanto não conseguirem identificar de onde provém o assobio. A maior parte do seu peso é constituído por gordura e por isso têm muita facilidade em flutuar. As fêmeas só dão à luz um único filho depois de uma gestação de 240 dias. Os hipopótamos podem ficar submersos 5 minutos. Durante o dia mantêm-se dentro de água, à noite vêm para as margens pastar. Deitam-se nas margens e nas ilhotas para dormir e apanhar sol.

O chacal africano de dorso prateado

 O chacal africano é um pequeno predador com hábitos necrófagos. É um animal bastante tímido que só se arrisca a atacar  pequenos animais, preferindo alimentar-se dos restos das carcaças deixadas pelos grandes predadores. É um artista perfeito na arte de se infiltrar para poder roubar os seus quinhões de carne,  disputando os restos com  os abutres e com outros pequenos animais necrófagos que se lhe oponham. É o tipo clásssico do ladrão furtivo que rouba e foge. É muito abundante em toda a África e habita uma grande diversidade de habitats, desde o deserto puro  às florestas e às savanas. Tem hábitos nocturnos e procria em tocas. Regurgita os alimentos para as suas crias até que elas se tornem independentes e aprendam a subsistir por si mesmas.

Crocodilo

O crocodilo é o maior réptil vivo que existe actualmente. Os crocodilos são sempre muito numerosos na maioria dos grandes rios e lagos africanos, onde se alimentam de peixes e de toda a espécie de animais que frequentam as margens dos rios para beberem. Os crocodilos têm um poder de sobrevivência extraordinário, podendo subsistir em pequenos e lamacentos charcos, no estio africano. O crocodilo africano chega a alcançar grandes dimensões Um crocodilo com seis metros de comprimento é um crocodilo adulto vulgar. Nalguns lugares de África já se conseguiram encontrar verdadeiros monstros com mais de oito metros de comprimento. Um dos rios africanos com maior concentração de crocodilos é o rio MARA, que atravessa a reserva natural de Masai-Mara,  devido à grande abundância de vida selvagen que habita essa zona de África. Na altura das grandes migrações das manadas de gnús, zebras e outros habitantes das savanas, os crocodilos concentram-se nos pontos do rio em que os animais costumam fazer a sua travessia  em direcção ao Serengeti e atacam-nos sem dó nem pidedade, puchando-os para dentro de água e afogando-os, provocando neles  matanças impressionantes. O espectáculo que se depara nesses locais nessa altura é muito chocante. Centenas de carcassas de animais estropiados e mortos juncam as margens do Mara e flutuam já mortos ao longo do rio. Os crocodilos também atacam os seres humanos, principalmente os africanos,  que descuidadamente se aproximam demasiado das margens para se abastecerem de água. 

O  crocodilo ao detectar uma presa nada submerso até se poder aproximar o suficiente para lançar um súbito e rápido ataque à presa, arrastando-a depois para dentro de água onde fácilmente a afoga. Está comprovado que a dentada do crocodilo e das mais fortes que existem entre os predadores. O crocodilo depois de agarrar a presa dificilmente a larga até a matar. No tempo seco, quando o leito dos rios seca, muitos crocodilos  empreendem grandes deslocações pelo mato à procura de charcos ou de lagoas onde se possam recolher.                        

    A principal arma do crocodilo é a sua poderosa mandíbula recheada de dentes, que podem alcançar o espantoso número de 80. Uma dentada de um crocodilo grande pode chegar a atingir a força de quinze toneladas. Em determinados países de África existem quintas situadas perto dos grandes rios onde se criam crocodilos com o propósito de lhes extrair as peles para exportação.

 Redunca Arundinum – Red Buck, ou Nunce

 É um antílope de médio porte, muito comum em grande parte do Continente  Africano. Os machos caracteriram-se pela sua elegância e são dotados de cornos anelados na base e ligeiramente revirados para a frente que podem atingir o comprimento de 45 cm. As fêmeas não possuem chifres. Possuem manchas brancas circulares em redor dos olhos e as orelhas ligeiramente viradas para a frente são revestidas de pelos compridos na sua face interior. É um animal de hábitos diurnos que habita as matas abertas que confinam com grandes clareiras onde exista bastante erva tenra para pasto e erva alta para abrigo. Têm um pelo liso, curto e sedoso que lhes confere uma colaração castanha de variados tons. Os machos maiores nunca excedem os 85 cm de altura, do solo à espádua.  A sua carne é de excelente qualidade sendo por essa razão muito procurados pelos caçadores e pelos seus predadores naturais. São de temperamento pacífico e defendem-se fugindo a grande velocidade e escondendo-se nas moitas e na erva alta. Os machos adultos raramente excedem os 90 kgs de peso, enquanto as fêmeas adultas nunca ultrapassam os 85 kgs. 

    Fêmeas de Nunce

Vivem normalmente em casais ou em pequenos grupos que nunca ultrapassam os 20 animais. Quando perseguidos soltam assobios de alarme conseguindo assim comunicar-se. No tempo seco, estio africano, pastam durante a noite e abrigam-se às horas de maior calor. Os seus predadores naturais mais comuns são o leão, o leopardo, as hienas, os mabecos e até os crocodilos quando estes animais se aproximam dos rios para beber. Procriam durante todo o ano, mas a maior actividade de acasalamento é exercida durante o tempo frio e seco e durante o verão. As fêmeas dão à luz apenas uma cria, depois de um período de gestação que regula  de 7 a 8 meses. Um caso interessante e curioso é que as fêmeas não se mantém junto das crias para as proteger. Dissimulam-nas em esconderijos no mato e visitam-nas diáiamente por curtos períodos de tempo que raramente ultrapassam a meia hora para as ver e amamentar. Provavelmente as crias devido à fraca capacidade de acompanharem os pais na fuga, seriam alvos muito fáceis para os predadores.

 Lebre saltadora africana

A lebre saltadora africana comporta-se mais como um coelho de que como uma lebre. Vive em tocas com muitas ramificações que ligam a uma toca central maior. A toca tem várias entradas e abriga uma colónia de lebres. Possui um corpo 

A lebre-saltadora se comporta mais como coelho do que como lebre. Como o coelho, mora embaixo da terra em tocas com muitas ramificações, ligadas a uma grande toca central. A toca tem quatro ou cinco entradas e abriga uma grande colônia.

A lebre saltadora tem o corpo alongado e possui orelhas compridas, estreitas e ponteagudas que se podem enrolar e fechar. Tem patas dianteiras curtas providas de garras afiadas próprias para escavar a terra. É um animal que come sentado e que usa a cauda comprida para se apoiar. As suas patas traseiras são compridas e fortes e  permitem-lhe  dar saltos que podem atingir os       3 metros. É um animal que passa o dia refugiado na toca e que só se arrisca a sair à noite. Alimenta-se principalmente de raízes, tubérculos, sementes e folhas. Tem uma carne de bom sabor em virtude da sua alimentação totalmente vegetariana. 

Waterbuck, Songue

 O songue é um antílope de porte médio que habita as matas e as savanas que se estendem ao longo dos cursos de água, rios lagoas e grandes regatos, onde cresce uma intensa vegetação de herbáceas apropriadas para a sua alimentação. É um antilope de hábitos essencialmente diurnos. O songue não passa muito tempo na água mas tem grande facilidade em deslocar-se em zonas alagadas e pantanosas onde dificilmente se enterra.  Quando perseguido pelos predadores busca imediato refúgio nos cursos de água conseguindo nadar e  deslocar-se à vontade, quase inteiramente submerso, conseguindo dessa forma escapar aos seus predadores. Nesses momentos os songues são muitas vezes atacados pelos crocodilos. As fêmeas dos songues juntam-se e formam grandes rebanhos que chegam a atingir centenas de animais. Os machos, formam grupos muito menos numerosos que estabelecem e defendem territórios bastante grandes. Normalmente os machos deixam de ser territoriais depois de atingirem os 10 anos de idade.   O songue possui uma glândula que segrega uma espécie de almíscar, insolúvel na água, e que espalha um cheiro desagradável sobre o corpo do animal, podendo o seu mau sabor transmitir-se à própria carne para tornar a sua ingestão desagradável. A transmissão desse mau sabor à carne pode evitar-se se o animal for cuidadosamente esfolado. O macho adulto pode atingir pesos que oscilam entre os 200 e os 300 kg e pode medir, do solo à espádua 1,25 a 1,35 de altura. As fêmeas são mais pequenas e raramente atingem os 200 Kg. A sua pelagem é castanho avermelhada e vai escurecendo à medida que o animal envelhece. Possui uma mancha branca rodeando o focinho  e um círculo branco nos quartos trazeiros. Só os machos possuem cornos espiralados, virados um pouco para trás e as extremidades para a frente.   Embora as crias comecem a comer relva enquanto jovens, elas são amamentadas pelas mães durante 6 a 8 meses. As crias levam perto de dois anos para se tornarem adultas. São animais com um grande grau de reprodução o que concorre  para um grande aumento da sua espécie. 

Macho deslocando-se em zona pantanosa

Babuíno, também conhecido por  macaco cão 

  O Babuíno, também conhecido pelo nome de macaco cão encontra-se em grande quantidade em quase toda a Áfica equatorial e tropical. É um primata de grande dispersão em África. Vive em grupos mais ou menos numerosos que são chefiados por machos dominantes. No grupo existem normalmente mais machos adultos que procuram vencer o macho dominante para poderem substituí-lo e tomar conta do harém de fêmeas. São animais irrequietos e agressivos, muio barulhentos que se disputam por tudo e por nada. O macaco cão torna-se perigoso por ser dotado de grandes caninos. São animais omnívoros que nem sequer desdenham comer carne crua de pássaros e de pequenos animais que capturam nas matas. Comem também uma grande variedade de insectos, de ovos, de repteis e de frutas selvagens. São também animais necrófagos que não desdenham alimentar-se de cadáveres. Um dos seus predadores mais comuns é o leopardo que possui a faculdade de os poder perseguir nas árvores. O leopardo, porém, nem sempre leva a melhor, pois teme também os grandes machos adultos que possuem grandes e afiados caninos e que corajosamente lhe fazem frente.

As fêmeas dos babuínos atingem a sua maturidade sexual  aos dois anos de idade, mas o seu índice de fertilidade só se evidencia aos 4 anos de idade. Têm um período de gestação de cerca de 6 mese e dão à luz apenas uma cria. As crias são profundamente dependentes das progenitoras e são frequentes vítimas de acidentes e das brigas entre os machos que se disputam uns aos outros para procurar dominar o grupo. Um babuíno macho adulto pode alcançar o peso de 25 kg e pode viver de 3 a 4 dezenas de anos.

 Raposa africana, raposa de Angola

As raposas são canídeos de porte médio que se caracterizam. pelo seu comprido focinho e por uma cauda longa e peluda. Também apresentam como particularidade umas pupilas ovais, semelhantes às pupilas verticais dos felídeos.       As raposas são animais  omnívoros, o que quere dizer que comem praticamente de tudo, desde insectos a ovos e a pássaros. As suas presas favoritas, que conseguem caçar com grande habilidade são os ratos selvagens e os os coelhos bravos,  Exercem também alguma actividade necrófoga e têm hábitos nocturnos. As raposas são animais muito atrevidos e manhosos que procuram alimentar-se de presas indefesas, penetrando nos galinheiros dos africanos para roubar galinhas e  crias de  cabras domésticas. Uma raposa selvagem pode viver até 10 anos, mas dificilmente consegue atingir essa idade devido à grande perseguição que lhe é movida. Os machos adultos chegam a atingir os 6 kgs de peso, mas as fêmeas dificilmente ultrapassam os 5 kgs. A raposa exala um cheiro muito forte e repulsivo. Dão à luz vários filhos que são protegidos pelos pais nas suas tocas até ao completo desmame. Os pais regurgitam os alimentos para as crias depois da amamentação.

 Gibóia africana

 A Gibóia africana é da família das boas, uma espécie de reptil que abarca um conjunto de serpentes constritoras vivíparas e ovovíparas. A maioria dos membros desta família (asjiboias, as sucuris, as periquitamboias, entre outras). Algumas pessoas pensam que as píton também fazem parte dessa família, mas não é verdade, pois  pertencem a família Pythonidae. Podem atingir grandes dimensões e são capazes de engolir presas de tamanho muito superior (como veados por exemplo). Estas serpentes matam a presa por constrição (pressão feita com o corpo quando se enrola em sua presa causando asfixia e parada cardíaca), possuem dentição áglifa (não há dentes inoculadores de veneno), quatro fileiras na parte superior (duas no lado esquerdo e duas no lado direito) e duas fileiras na parte inferior (uma de cada lado), dentes afiados que ajudam a segurar a presa. Geralmente, evitam contato com humanos, e quando isto ocorre, algumas emitem um som originado pelo ar expirado dos pulmões (por exemplo, as jiboias), mas podem também dar botes defensivos.

 

Os Gorilas do Maiombe 

 Os gorilas são os maiores primatas que habitam o Continente Africano. São endémicos das florestas tropicais. Em Angola vivem numa área muito reservada do Maiombe, onde gozam da protecção da floresta equatoriasl que ali se desenvolve. Os bonobos e os chimpanzés são parentes próximos dos gorilas e tem um DNA praticamente igual.

Os gorilas podem viver em florestas tropicais ou sub-tropicais.  As suas áreas de distribuição abrangem  uma pequena percentagem de África e podem subsistir numa  grande variedade de altitudes. Os gorilas-de-montanha (Gorilla beringei beringei) habitam as florestas montanhosas do Albertine Rift, existindo entre os 2.225 e os 4.267 m. de altitude Os gorilas-do-ocidente moram em florestas densas e pântanos das terras baixas  até ao nível do mar. Um gorila macho adulto mede entre 1,40m e 2,00 m de altura quando na posição erecta e  pode pesar entre 140 a 300 kg.

 As fêmeas são bem menores do que os machos e dificilmente ultrapassam os 110 kg de peso. O Gorila possui uma força extraordinária nos membros anteriores, podendo erguer pesos de 2000 kg. Os gorilas deslocam-se sobre as quatro patas. Os membros anteriores, ou braços são mais longos que os membros posteriores, ou pernas, e quando se deslocam apoiam-se nos quatro membros. A esperança de vida de um gorila oscila entre os trinta e cinqüenta anos, podendo viver um pouco mais em cativeiro. Os gorilas são animais  considerados altamente inteligentes. Os gorilas são conhecidos por usarem ferramentas na natureza. Uma gorila fêmea do Nouabalé-Ndoki National Park na República do Congo foi filmada a usar um pau para medir a profundidade da água de um pântano que pretendia atravessar. A sua alimentação é essencialmente vegetariana, mas não desdenha comer insectos e ovos que encontra nos ninhos. Os gorilas e os chimpanzés têm sido vítimas da caça furtiva e da epidemia de ébola, sendo esta responsável por um grabde número de mortes.

 

Esta entrada foi publicada em Coisas de Angola, Fauna Africana. ligação permanente.

29 respostas a FAUNA selvagem de Angola

  1. Maria Brito diz:

    Como qualquer filho de Àfrica,não podia de ficar indeferente a este texto e a estas belas imagens da selva africana. Parabéns amigo Afonso. Continue a escrever…
    Um abraço da Maria Brito

  2. Anabela Ribeiro diz:

    Muito obrigado pleo relatório de animais angolanos aqui descritos . Já me tinha esquecido do nome de alguns, pois nasci em Luanda mas por vezes iámos passear com um caçador e tivémos contacto visual com alguns destes animais no mato!

    • angolano29 diz:

      Cara Anabela Ribeiro

      Fiquei satisfeito por saber que visitou o meu blog e que tirou disso algum prazer e proveito. Espero que continue a fazê-lo, pois tenho procurado mantê-lo permanentemente actualizado. Já agora aproveito a oportunidade para lhe pedir que me diga onde vive e o que faz, pois tenho interesse em saber um pouco mais de si. Eu nasci em Angola em 1929, na Catumbela e permaneci em Angola até 1975, tendo ido viver depois para o Brasil. Em Angola vivi a maior parte do tempo no Huambo e depois em Luanda. Vivo agora em Portugal desde 1981. Por hoje é tudo. O meu mail é: angolano29@ymail.com para onde pode enviar quialquer mensagem.
      Passe bem.
      ASLOPES

  3. Carlos Nascximento diz:

    Vivi muitos anos em Angola e ao não lembrar-me do nome de um antílope que vive na região onde habitava (Kuando Kubango) entrei no blogue e, claro, encontrei o Songue que vive nas margens dos rios. É realmente um grande nadador e não se pode afastar muito dos locais lamacentos por ter os cascos “acios”.
    Obrigado pelas descrições da “bicharada” (carinhosamente),
    Bem haja.

    • angolano29 diz:

      Caro Amigo,

      Tive bastante satisfação em saber que o meu post sobre a fauna angolana o ajudou a recordar um antílope muito abundante em África. Quando eu tinha vinte e poucos anos e era um apaixondo caçador, cheguei a abater alguns songues nas margens dos rios. O animal era muito abundante, mas a sua carne não era lá grade coisa. Eu preferia a do nuce. Cedo me aborreci com o vício de caçar e passei mais a contemplar e a estudar os animais selvagens. Obrigado pelo seu contacto. Desejo-lhe saúde e sorte.
      Ouso pedir-lhe o favor de divulgar o meu blog pelos seus contactos.
      Disponha sempre.
      Afonso Soares Lopes

  4. Angola é a minha terra!
    Muito bom!!!
    Foi uma mais valia para a apresentação de um trabalho na escola.
    Parabéns

  5. Sérgio Batista diz:

    Muito obrigado pela explanação detalhada, simples e objetiva sobre os animais de Angola. Pode me indicar onde busco informações sobre a incidência de acidentes com estes animais? Desde já muito obrigado.

    Sérgio Batista
    Brasileiro fã de Angola

    • angolano29 diz:

      Caro Sérgio Batista

      Começo por lhe agradecer o interesse demonstrado no meu site. A minha objectividade resulta apenas do facto de eu ter nascido em Angola, onde vivi 45 anos.
      Sempre fui um fã da fauna africana e dediquei muito tempo a observá-la e estudá-la, porque sentia verdadeiro prazer nisso. Relatos específicos de acidentes
      com alguns animais da fauna selvagem africana, não são fáceis de encontrar. As pessoas que se viram envolvidas neles, tinham o hábito de os relatar verbalmente aos amigos e conhecidos e não tinham o hábito de lhes dar divulgação pública. Posso no entanto referir-lhe, quais os animais da fauna angolana que habitualmente provocavam acidentes (principalmente de caça). O maior número de acidentes que envolvia os caçadores era provocado pelo “búfalo castanho”. Este búfalo, de menor estatura do que o conhecido búfalo cafre (búfalo negro) era contudo muito mais agressivo do que o preto e era extremamente vingativo. Sempre que ferido tornava-se uma fera terrível que perseguia os caçadores até se conseguir vingar. Logo a seguir, o maior perigo era representado pelo leopardo (onça), principalmente pelas fêmeas com crias. Também havia bastante acidentes com cobras venenosas, do tipo víboras que matavam bastantes africanos.

  6. SIMARA diz:

    MUITO 10 IMAGENS LINDA

  7. LINDOMAR diz:

    E TUDO LINDO MARAVILHOSO ADOREI

  8. Joaquim arriegas de oliveira diz:

    estou bastante satisfeito com seu comentário e acredite que andava a procura de antílope e encontrei -PACASSA-muito obrigado

  9. Aleh Baptista diz:

    Sou do Brasil e amo os animais Africanos.Muito obrigado pelas imagens e informações…

  10. lidyane diz:

    todos esses animais que estão ai são da Angola

    • angolano29 diz:

      Cara amiga Lidyane Angela,

      Parabens pelo seu nome invulgar. É muito lindo. Os animais que apresento existem todos em Angola, mas existem ainda outros menos
      comuns e mais insignificantes.
      Cumprimentos.

      ASLOPES

  11. kakumba palanca diz:

    foi bom ter entrado neste blog vi coisas maravilhosas da nossa Angola

    • angolano29 diz:

      É agradável ouvir um comentário que reconhece a utilidade do post sobre a fauna angolana. É muito importante conhecer um pouco mais sobre as espécies selvagens africanas e apreciar o seu comportamento. Continue a visitar o blog e veja muitos dos vídeos que publico sobre oas animais de África. Obrigado pela sua visita. Um abraço.

      • ESTIVE EM ANGOLA 10 ANOS MAIS PROPIAMETE NA MATALA JUNTO A BARRAGEM SALAZAR QUE SE SITUA NO RIO CUNENE MAS 10 ANOS ME BASTARÃO PARA FICAR VERDADEIRAMENTE APAXONO PELA TERRA POR TUDO MAS DE UMA MANEIRA MUITO ESPECIAL PELA FAUNA TÃO DIVERSSA QUE LA EXISTE DESDE PIQUENA CABRA QUE VIVE NOS MURROS DAS PEDAS ATÉ AO CURPOLENTO ELEFATE E DE CROCODILHOS UO JACARÉS QUE CHEGUEI A CAPUTARE COM MAIS 12 METROS DE COMPRIMENTO E TANTOS OUTROS ANIMAIS E REPTIS MUITO OBRIGADO

      • angolano29 diz:

        Caro Sr. Gonçalves.

        Conheço bem a Matala e o rio Cunene onde fiz alguns passeios. Acompanhei muito de perto o grande Projecto Hidráulico do Cunene quando vivia em Nova Lisboa. O director do projecto, Engº Joaquim Forte Faria era meu amigo de infância. Digo era porque morreu há poucos dias aqui em Portugal. Vivia em Linda a Velha. Era um grande Engº e um homem de carácter excepcional. Também fui amigo íntimo do António Azevedo, seu amigo e braço direito. Foi pena que a guerra tivesse interrompido o grande projecto de regularização do caudal do rio Cunene que previa a construção de um conjunto de grandes represas para travar a queda de 1000 m que havia desde a nascente à foz do Cunene que, em poucos meses fazia desaparecer o caudaloso Cunene no Atlântico. Bons tempos que se foram.

  12. Adelino diz:

    Fantástico, lindíssimo esta fauna Angolana. Devemos nos lembrar que o criador que nos criou é o mesmo que criou os animais e eles estão neste planeta primeiro que nós e devem ser respeitados. Parabéns pelo artigo.

    • angolano29 diz:

      Caro Senhor Adelino,

      Também participo inteiramente da sua opinião. Costumo dizer que quando os cães não gostam de uma pessoa e quando essa pessoa não gosta dos cães é porque ela não presta para nada. O mesmo em relação aos gatos e a outros animais nossos amigos.
      Um abraço.
      O Pica Pau ngolano

  13. Manuela Nunes diz:

    Boa tarde,

    Nasci em Angola em 1965, em 1975 vim para Portugal, tal como muitos.
    Quando ví estes animais, recordei-me de um que me impressionou particularmente, pois tinha 8 anos quando o ví em pleno estado selvagem numa estrada que levava à antiga Sá da Bandeira.
    O meu pai na altura chomou-lhe “Ingéu”. a minha pergunta é? seria uma Palanca Negra Gigante??
    Era muito alto tinha cabeça de boi e corpo de cavalo.
    Pode ajudar-me a exclarecer esta dúvida?
    Obrigada

    • angolano29 diz:

      Cara Manuela,

      Não seria um búfalo cafre ou um gnú ? Não conheço nenhum animal com o nome de “Ingéu”. A palanca preta gigante não tem cabeça de boi e é de identificação muito fácil, pois possui
      uma armação recurvada e longa.
      Cumprimentos.

      O pica pau angolano.

  14. JOSE ROBERTO TOKASHIKI diz:

    Desconhecemos o potencial de cada animal africano bem como só lembramos de leões, bufalos, zebras, crocodilhos, macacos….. mas esquecemos dos outros animais africanos. Assistindo estes documentários valorizamos o ecossistema Africano como também a sua flora e fauna que é valiosíssimos para toda a Humanidade.
    Parabéns pelo trabalho aqui apresentado.
    Roberto Tokashiki

  15. Pedro Capitango diz:

    Brutal, simplesmente brutal… a divulgação da nossa biodiversidade é fundamental, não só para a nossa geração, fundamentalmente para as gerações vindouras. Muitos estudiosos da biodiversidade vêem alertando sobre a perda da biodiversidade a nível global, e muitas espécies já se extinguiram mesmo antes de serem conhecidas. Ainda a muitas espécies por descobrir, a nível do nosso país, temos o exemplo mais recente é a descoberta de 21 novas espécies, entre plantas e animais pelos Especialistas do Nacional Geográfico, na bacia do Okavango (região do Cuando Cubango).

    Angola preciso mais de trabalhos do género, divulgar mais a biodiversidade, criar catálogos ilustrados da biodiversidade…

    Iniciativas do género é de louvar…brutal…simplesmente…brutal

    • angolano29 diz:

      Caro amigo Pedro Capitango,
      Obrigado pela visita ao meu blog. Meu caro amigo, eu sou angolano descendente de portugueses. Nasci em Angola e vivi aí quarenta e cinco anos. Hoje, com 86 anos no pelo, ainda
      não deixei de amar Angola e de a relembrar com muita saudade. Pela sua mensagem deduzo que viva na magnífica região do Cuando Cubango. Eu tenho a África no sangue e gostaria de a
      poder rever antes de partir da Terra. Se não fosse a incontrolável ganância de certas pessoas, esse país poderia ter uma vida maravilhosa. Vivi em África os melhores anos da minha vida. Creio que
      é o melhor Continente do mundo e quiçá o mais rico em biodiversidade. Que Deus permita que essa terra cresça em harmonia e paz e que atinja o lugar cimeiro que merece. Eu só conheço o Okavango através de documentários televisivos. Conheço todo o Sudueste Africano, incluindo o belo parque natural do Etosha perto de Windoek. Sei contudo que a bacia hidrográfica do Okawango supera em tudo a fauna africana. Quando surgem filmes sobre o Okavango eu não perco pitada.
      Se quiser publicar algo no sitio do pica pau angolano, com fotografias envie para angolano29@gmail.com.

      Um grande abraço.

      O pica pau angolano

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s