Comentários expontâneos do povo….. ainda sobre o caso de mais uma golpada.

Adriano Leiria

Qui, 09/06/2016 – 17:54

O Estado Conivente da Direita

O Estado Conivente da Direita e do PS
As Empresas Públicas, A Banca e Os Grandes Grupos Económicos, são os que mais ordenam ” contrário à famosa canção do Zeca Afonso”.
O PS / PSD / CDS PP, nunca vão impor disciplina e Justiça fiscal nas contas públicas quanto aos seus jogos de interesse, superam as ideologias e a honestidade, oferecendo aos LOBBYS o “ORÇAMENTO BOM” do PAÍS!
Para um trabalhador ficar com uma reforma razoável, tem que fazer bons descontos no mínimo durante 40 anos e aposentar-se aos 66 anos. Para os gestores, já com vencimentos milionários e com tachos em várias empresas, basta meia dúzia de anos de (Pseudo Trabalho), um aumento de ordenado no último ano, antecedente à aposentação, e a reforma vem por inteiro + as bonesses de última hora.
Tivemos o caso “Mira Amaral” e Outros que são vergonhosos, o País continua a Saque, apenas para encher os bolsos dos amigalhaços.
Eu não estou a reivindicar mais ganhos, peço é disciplina financeira contra os LOBBYS amigos dos governantes, que nunca souberam o que é austeridade e vivem apenas à custa de “TACHOS” e “GOLPADAS

Adão Carvalheiro

Qui, 09/06/2016 – 14:48

Não podemos aceitar mais este roubo!!!

19 administradores para a CGD??? São mais administradores que ministros??? E aumento de ordenados, na situação em que vivemos e depois da gestão bancária que temos tido??? Mais 4 mil milhões para enterrar na banca sem perceber e tirar as devidas consequências??? Haja o mínimo de decoro. Espero bem que isto tenha sido apenas um sonho mau e que não se transforme em mais um pesadelo.

Antonio Oliveira

Qui, 09/06/2016 – 01:58

Que nojo!

Isto dos bancos já mete nojo, devem andar a brincar com o povo! O dinheiro continua a desaparecer e continua-se a meter lá mais dinheiro dos desgraçados que trabalham e que ganham uma fortuna de salário mínimo. Continuem o assalto e depressa, porque ainda há muitos bancos para limpar, para depois meter lá mais dinheiro fresco.

COMENTÁRIO:- Seja qual for o partido político a que pertençam, as elites políticas que apoiam o sistema partidocratico procedem todas da mesma forma. Durante a legislatura do anterior governo do Engº Sócrates o governo injectou no BPN 5.000 milhões de euros para evitar a escandalosa falência do Banco. O dinheiro injectado pertencia ao tesouro do país e ao bolso dos contribuintes. Logo a seguir, os políticos e as elites caíram em cima desse dinheiro e contraíram empréstimos vultuosos com garantias de terrenos agrícolas urbanizados à pressa. Os 5.000 milhões de euros evaporaram-se rapidamente e foram engrossar várias contas particulares em offshores espalhados pelo mundo. Portugal ficou ainda mais endividado. 

Estamos agora na presença de mais um caso semelhante, senão mais grave ainda. A Caixa Geral de Depósitos que foi considerada um baluarte inexpugnável e a maior garantia financeira do país, precisa rapidamente de uma vultuosa injecção de milhões de euros para que o sistema bancário português possa sobreviver. O que é que isto significa???? O que mais se verá ainda?

 Para conhecer em pormenor o que se passou no BPN leia: –

ECONOMIA, EDIÇÃO Nº 311 – MAR/ABR 2011

O escandaloso caso do BPN (use o motor de busca do GOOGLE.

Esta entrada foi publicada em POLÍTICA com as etiquetas . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s