COMO SE PODEM DEFENDER ???

COMO SE PODEM DEFENDER??

 Como se podem defender os países que nem capacidade têm para poder garantir a sua subsistência económica e a sua nacionalidade e se endividam até à raiz dos cabelos?  Este é hoje o caso de muitos países pequenos e sem valores humanos que promovam a sua coesão e o seu patriotismo. É claramente o caso de vários países da Europa do Sul e da América Latina, incluindo  expressamente  Portugal.    Um  espírito  aloucado   de irresponsabilidade  política alastra pelo mundo e os valores que garantiam a coesão  nacional  estão  a  declinar  gravemente  e,  em  muitos  casos a desaparecer  mesmo.  A atitude instintiva dos avestruzes generaliza-se cada vez  mais.  Pessoas astutas e  mal  formadas  de  carácter   estão a  tornar-se senhoras da situação e a explorar as oportunidades do vazio patriótico que se tem criado em muitos países. Os media já sem escrúpulos e sem coragem para servirem a verdade, servem  com  dedicação  quem  melhor lhes pagar e quem tiver o poder  nas  mãos,  enganando  e  desinformando  os  seus  leitores  e seguidores mentecaptos.  Intoxicados  por  falsas  notícias  e  completamente afastados da medonha realidade  que aos poucos irá dominar as suas vidas e que mais cedo  ou  mais  tarde  os    destruirá completamente, vivem  sem  se preocuparem com o que lhes possa acontecer. Nesta situação eminente que pende sobre as suas cabeças ocas não se dão conta de nada até que lhes possa faltar  o  pão  na  mesa.  As  mentiras  criminosas  da  informação  social  tem tomado conta gradual das suas vidas. Ela garante-lhes que está tudo bem, que estamos no bom caminho e que não há razões para se preocuparem. O povo é contínua e fortemente alimentado com pequenas notícias de ocasião, casos de sangue e de morte, pequenas tragédias domésticas e actos de violência, tão ao gosto da coscuvilhice popular. A lei nâo consegue, ou mal consegue, exercer o seu poder punitivo e não domina nem consegue conter  o  crime  organizado e aos poucos, o mundo em que temos  de  viver, transforma-se  numa sociedade de máfias e malfeitores. A Justiça  deixou há  muito  de  ser  independente  e sujeita-se  humildemente   ao  poder   executivo   que   os   partidos   políticos dominam  colocando-se  acima  da  própria  lei  e  do  interessa da Nação. Os grandes criminosos ficam impunes e  enriquecem   de forma escandalosa. A classe média perdeu todo o poder e toda a razão e a justiça deixou de poder controlar  a normalidade de vida nas sociedades actuais. Tal como na antiga Roma dos grandes imperadores, as pessoas clamam apenas por pão e circo. Os governos endividam-se e mentem continuamente para poderem manter-se no poder. É a política da irresponsabilidade. Ninguém consegue saber do amanhã e do futuro e vai-se empurrando a realidade com a barriga. Está a tornar-se comum a realidade que garante     o futuro  dos  ricos  e  a  dor e sofrimento dos  pobres  que servil-mente  se sujeitam  a  tudo.  Quem lhes garantirá a sobrevivência e o socorro? Infelizmente pode hoje afirmar-se sem receio de errar que toda  a obra saída  da  mão  dos  portugueses  está inteiramente contaminada e perdida. Olhamos para os antigos territórios portugueses  do  ultramar,  hoje  escravizados   por  governos  ilegítimos e cleptocráticos e por fim podemos também olhar para o que se está a passar no  Brasil, um   país  territorialmente  grande  e  cheio   de  recursos,  hoje inteiramente  governado por  máfias   políticas   totalmente  corruptas,  que saqueiam escandalosamente bilhões de reais ao país, sem a mínima vergonha legislando sempre a favor de  causas próprias. As  imensas  riquezas  e  recursos brasileiros são objecto de grande cobiça  mundial  e  se um forte movimento nacionalista não  as  defender,  acabarão  por  ser  repartidas   e   roubadas  pelos  grandes predadores  mundiais que já procuram  fazer   valer   o  princípio   de   que  a soberania do Brasil  sobre  esses   bens  é   apenas   relativa,  porque  o país não possui condições para  defender sozinho os seus bens, abrindo assim caminho para legitimar uma intervenção estrangeira.  Será  porventura  um  caso único  e inédito?  E  em Angola, como foi que tudo aconteceu?Os brasileiros têm que reagir e exigir do seu exército a defesa de todo o património nacional. É um direito consignado na sua constituição.

 

O Pica Pau Angolano

Anúncios
Esta entrada foi publicada em POLÍTICA BRASILEIRA com as etiquetas . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s